ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Conselho Nacional de Justiça conclui inspeção no Tribunal de Justiça do Ceará

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) finalizou na última sexta-feira (21), a inspeção de rotina no Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), iniciada no começo da semana. A inspeção abrangeu tanto as unidades administrativas e judiciárias quanto as serventias extrajudiciais da Capital e do Interior.

O presidente do TJCE, desembargador Abelardo Benevides Moraes, destacou o progresso contínuo do tribunal e a abertura para críticas e sugestões. “Muito me orgulho deste Tribunal. Vivi várias fases dele, estamos conscientes e tranquilos que ele vem melhorando ano após ano. Nós continuamos à disposição, abertos a críticas e sugestões, que certamente podem contribuir para o nosso crescimento”, afirmou durante a cerimônia na Escola Superior da Magistratura do Estado (Esmec).

O coordenador de inspeção e magistrado auxiliar da Corregedoria Nacional de Justiça, desembargador Fábio Uchôa Pinto de Miranda Montenegro, ressaltou a importância da inspeção para garantir um padrão de excelência na Justiça brasileira. “A Justiça brasileira precisa ter um nível de excelência comum a todos. Essa visita, essa integração, agrega forças, sentimentos, entusiasmos e uniformização”, observou Montenegro.

Ele parabenizou o TJCE pelo bom funcionamento, com ênfase no 2º Grau, destacando a atuação da área criminal como “excelente”. Além disso, mencionou o alto desempenho das câmaras de direito público e a eficiência das câmaras de direito privado, mesmo com maior carga de processos. No 1º Grau, Montenegro elogiou o Programa Tempo de Justiça, voltado para acelerar processos de crimes dolosos contra a vida, sugerindo sua replicação em todo o país. “É um projeto muito importante, que vem sendo cumprido com eficiência, e deveria ser copiado pelo Brasil inteiro”, afirmou.

O desembargador também ressaltou o uso do “Sistema Alice”, uma inteligência artificial que facilita a identificação de inconsistências em editais de licitação.

 

Foto: J. P. Oliveira/Ascom TJCE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ 62 = 63